Reforma de casa alugada: Quem paga essa conta, descubra

Ao alugar uma casa algumas dúvidas podem surgir. Por exemplo, quem realizada o pagamento da reforma de casa alugada. Assim, este artigo vem esclarecer o assunto.

É comum precisar realizar algumas mudanças em uma casa alugada. Ainda mais se antes ela já estava sob responsabilidade de outros moradores. Desta forma é importante conhecer as responsabilidades do locador e locatário.

Responsabilidades do locador

Geralmente a reforma de casa alugada é para que o ambiente esteja pronto para moradia. Inclusive, entregar um imóvel em bom estado de habitabilidade é obrigação do locador.

Antes de realizar a mudança é importante que seja realizada uma vistoria. Logo, todos os locais que precisam de reforma serão sinalizados. Assim o locador poderá fazer os reparos antes de entregar o imóvel.

Pode ser que depois de entrar na casa o locatário perceba alguns problemas. Por exemplo, infiltrações, telhas quebradas ou até mesmo vazamentos. Sendo assim, é o locatário que deverá cobrir os custos.

Também, qualquer manutenção ou reforma que se refere à estrutura da casa é de responsabilidade do locador. Em resumo, ele deve realizar o pagamento das despesas extraordinárias.

Responsabilidades do locatário

Já sobre os gastos de reforma de casa alugada referente ao locatário temos as provocadas por ele. Ou seja, se durante a estadia algo estragou por mau uso ou sem intenção é de sua responsabilidade arrumar.

Suponha que o vaso sanitário entupiu por mau uso e precisa ser trocado. Certamente é o locatário que deverá arcar com todas as despesas. Afinal antes estava em perfeito funcionamento.

Uma das principais obrigações do inquilino é conservar o bem alugado no estado em que recebeu. Inclusive, é proibido que faça interferências físicas na casa sem consultar os donos.

Benfeitoria na casa alugada

As benfeitorias são melhoramentos que podem ser feitos por meio de reforma de casa alugada. Em resumo, visam deixar o ambiente mais agradável para o locador e valorizado para o locatário. Elas podem ser de três tipos:

  • Voluptuárias: que deixam o local mais agradável e valorizado, como uma piscina;
  • Úteis: como uma garagem, que facilitam o uso do imóvel;
  • Necessárias: que garantem a conservação do bem. Por exemplo, uma impermeabilização.

Para que uma benfeitoria seja realizada é importante haver um acordo entre o proprietário e inquilino. Afinal, a maioria delas envolve mudanças físicas e visíveis no imóvel.

Já sobre os custos das benfeitorias:

  • As necessárias serão pagas pelo locador mesmo que não sejam autorizadas;
  • Já as úteis devem ser autorizadas para que sejam pagas pelo locatário;
  • Por fim, as voluptuárias não são pagas pelo proprietário. Entretanto podem ser retiradas pelo locador ao final do contrato.

Em resumo, para não haver nenhum problema com os gastos é importante que faça a leitura completa do contrato. Porque, nele consta todas as especificações sobre indenizações.

Outra coisa importante é manter uma boa relação entre locador e locatário. Desta forma conseguirão decidir juntos o que será melhor para o imóvel e convivência.

Caso seja uma imobiliária responsável por todo o processo de aluguel esteja sempre em contato. Certamente eles irão informar sobre os gastos e ajudarão a encontrar os profissionais necessários para os reparos.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *